Existem diferentes tipos de sistemas de produção suína, nesse post vamos explorar o sistema de criação intensivo de suínos confinados (Siscon). Normalmente esse sistema é divido em 3 segmentos: UPL (Unidade de Produção de Leitão), UC (Unidade de Creche) e UT (Unidade de Terminação).

UPL – Unidade Produtora de Leitão

O lote responsável pela unidade do setor de reprodução, maternidade e desmame dos leitões. O período que o leitão fica na UPL depois de nascer ocorre entre 21 até 28 dias.

A gestação tem duração de aproximadamente 114 dias,ou seja, 3 meses, 3 semanas e 3 dias. O processo funciona da seguinte maneira as fêmeas são transferidas de 5 à 7 dias antes da data prevista do parto para o setor de maternidade, para se adaptar-se ao ambiente.

Após  o nascimento deve-se realizar os cuidados com os recém-nascidos, como a limpeza da boca, nariz e corpo para retirar as membranas fetais, se necessário auxiliar o leitão na primeira mamada para certificar que ele ingeriu o colostro, quanto antes ingerir maior será a absorção, sendo este fonte de imunoglobulinas ativas para adquirir a sua imunidade passiva.

UC – Unidade de Creche

O lote responsável pela unidade de creche faz os primeiros cuidados do animal, lá eles entram após o desmame com 8 Kg e permanecem por 42 dias até atingir média mínima de 20 Kg cada, o suíno sai da creche com idade média de 64 dias de vida. O peso de desmame influencia diretamente o seu desempenho nas fases futuras, ou seja, leitões desmamados mais pesados, apresentam um melhor desempenho na creche, consequentemente, um maior crescimento.

Deve-se evitar a mistura de mais de três leitegadas diferentes em um lote, devido às questões de conflito. Contudo, para minimizar os fatores de estresse  e o surgimento de comportamentos estereotipados uma alternativa é enriquecimento ambiental com palhas ou correntes, a fim de proporcionar um ambiente mais adequado para o animal para expressar o seu comportamento, visando o bem-estar animal. Essas práticas tem como objetivo amenizar o estresse sobre o lote e facilitar a adaptação do leitão ao sistema de creche.

Boas práticas nessa etapa dizem que os animais devem ser manejados de forma calma e separados em lote por sexo ou peso, para evitar questões de hierarquia entre os grupos e garantir uma maior uniformidade do lote.

Também  nas primeiras duas semanas, deve ocorrer um controle rigoroso da temperatura, devido a ausência da porca, entre 26 – 30ºC  controlada através do manejo de cortinas, aquecedor com campânulas ou lâmpadas. O manejo de cortinas é essencial para manutenção do conforto térmico animal e a renovação do ar. Todas estas práticas interferem no desempenho e peso final do animal.

UT – Unidade Terminação

O lote onde ocorre a terminação é responsável por engordar o animal e compreende a saída dos suínos da creche até a fase de abate, com peso vivo (PV) final entre 100/120 Kg. Os suínos entram na terminação com média de idade de 63 dias e saem após 114 dias de alojamento.

A terminação é dividida em duas fases:

  1. Recria onde os nutrientes absorvidos são destinados para o seu crescimento e a deposição de carne magra;
  2. Terminação até atingirem o peso de abate.

Para garantir um manejo sanitário adequado, as baias devem ser limpas diariamente a seco e realizar a raspagem, visando a sanidade  e o bem estar dos animais.

Em todos os lotes das diferentes fases de criação deve se implantar medidas de biosseguridade, manejos profiláticos e práticas de bem estar animal. Com isso, garantindo a qualidade do produto final e a segurança dos alimentos.

Uma maneira de garantir a eficiência e a segurança do alimento deste processo de produção  é através da rastreabilidade da cadeia produtiva.

 

Escrito por: Michele Fernandes

Data: 08/08/2018

Deixe um comentário