Mercado

Mercado de suínos: confira o panorama brasileiro e desafios!

Por 28 de maio de 2020julho 10th, 2020Sem comentários

Quem atua no mercado de suínos precisa estar atento ao panorama do país, tanto em relação à demanda interna, como à externa. 

Sendo um dos principais produtores e exportadores de carne suína, o Brasil apresenta diversas oportunidades para as indústrias do setor. 

Nesse sentido, abordamos a seguir qual é o panorama brasileiro e os dados mais importantes, quais são os impactos gerados pela crise em 2020, e ainda, como a tecnologia pode contribuir para enfrentar os desafios do mercado!

Entenda o panorama brasileiro do mercado de suínos

O mercado de suínos no Brasil é um dos que mais se destaca entre o mundo. Com grandes números de produção e exportação, trata-se de um mercado altamente rentável. 

Conforme a Embrapa, o Brasil está na 4ª posição em relação à produção de carne suína mundial, atrás apenas da China, União Europeia e Estados Unidos. Na exportação o país também ocupa a 4ª posição, já em relação ao consumo, estamos em 5º.

Da produção total do Brasil, 81% é destinada ao mercado interno, enquanto 19% é direcionada às operações de exportação.

No panorama interno, Paraná, Santa Catarina e Rio Grande do Sul se destacam, pois, são os estados que mais produzem e exportam carne suína. 

Além disso, a Embrapa também apresenta os seguintes dados deste mercado:

  • 2.017.645 matrizes alojadas
  • 3,983 milhões de toneladas produzidas
  • 0,22% de aumento na produção nacional (em relação a 2018)
  • 750 mil toneladas exportadas
  • 16% de aumento na exportação (em relação a 2018)
  • Consumo de 15,3 kg de carne per capita.

De acordo com o Relatório Anual publicado pela Associação Brasileira de Proteína Animal (ABPA), o volume de 750 mil toneladas de carne suína exportadas representou uma receita de 1,59 bilhões de dólares para o mercado brasileiro. 

O relatório também apresenta o share das exportações brasileiras por região, sendo a maior porcentagem da Ásia, com 64,80%.

Estas informações nos mostram que o mercado de suínos no Brasil está em constante crescimento e que cada vez mais novas soluções se fazem necessárias para otimizar a produção.

Contudo, para compreender melhor o panorama brasileiro, é preciso considerar alguns impactos que o mercado sofreu com a crise gerada pelo Coronavírus em 2020.

Coronavírus: impactos no mercado brasileiro

O início da pandemia do Coronavírus em 2020 trouxe grandes impactos em praticamente todos os setores do mercado. 

No Brasil, foi possível perceber uma redução na demanda de carne suína interna devido às condições de restrição e ao fechamento de estabelecimentos como restaurantes e lanchonetes. 

Assim, a demanda passou a se concentrar nos supermercados, que se mantiveram abertos como serviços essenciais durante a crise.

Em contrapartida, as exportações continuam crescendo. Segundo o estudo sobre o impacto da Covid-19 nas cadeias produtivas de frangos de corte, ovos e suínos, realizado pela Embrapa, em abril de 2020, os volumes de carne suína embarcados foram 34% maiores do que o primeiro trimestre de 2019. 

Ainda, de acordo com notícia da ABPA, a receita das exportações em 2020 chegou a 650,3 milhões de dólares, número 53,5% superior ao registrado no mesmo período de 2019.

Isso porque, parte dos países asiáticos já estavam sofrendo os efeitos da pandemia em dezembro e janeiro, e por isso, anteciparam as compras de carne brasileira. 

Outro fator que contribui para a exportação em meio à crise é a paralisação dos abates nos Estados Unidos, enquanto o Brasil continua a operar no limite da capacidade para atender à demanda externa.

O estudo também apresenta a projeção de que não há expectativas de impactos relevantes no elo da produção, pelo menos no que se refere ao planejamento das agroindústrias líderes. Espera-se, no máximo, a redução no ritmo de alguns investimentos planejados antes da crise, além de recuos discretos no alojamento de matrizes.

Para enfrentar os desafios da crise, e mesmo em situações em que o mercado está operando normalmente, a tecnologia pode ser uma grande aliada. Entenda a seguir como ela pode contribuir de maneira geral para a indústria de produção suína!

A presença da tecnologia neste mercado

Considerando os índices de crescimento apresentados ao longo do conteúdo, novas soluções de tecnologia podem ajudar a suprir as necessidades e a superar os desafios dos suinocultores. 

Estes desafios estão ligados, principalmente, à escassez de mão de obra, exigências dos consumidores com o bem-estar animal e a sustentabilidade. 

Nesse sentido, grande parte das tecnologias que vêm surgindo e que já podemos encontrar no mercado de suínos estão relacionadas à garantia do bem-estar animal, eficiência de produção e à segurança dos alimentos. 

Como a produção, consumo e exportação de carne suína contam com altas demandas, é fundamental que as empresas deste mercado tenham acesso a meios de rastreabilidade que permitam conhecer a procedência do produto e obter um maior controle de toda a cadeia produtiva. 

Desta forma, softwares e métodos de controle de qualidade representam uma grande oportunidade e diferencial competitivo para as indústrias do setor. 

Através de plataformas de comunicação que realizam a integração entre produtor e integradora, é possível disponibilizar as informações do lote em tempo real, o que proporciona assertividade nas tomadas de decisão e eficácia na produção.

Esperamos que com este conteúdo você tenha compreendido melhor o panorama brasileiro do mercado de suínos! Para se manter atualizado sobre o assunto, continue acompanhando nosso blog!

Deixe um comentário