Após a primeira etapa no processo de criação de suínos confinados, a UPL (confira o nosso post), onde o desmame dos leitões ocorre aproximadamente aos 28 dias (4 semanas), os animais são transferidos para a Unidade de Creche.

A Creche tem como objetivo diminuir o estresse pós-desmame, adaptar o leitão mais rápido possível as instalações e quebrar o ciclo patológico da maternidade.

Unidade de Creche

O crechário, é a unidade onde os leitões permanecem por aproximadamente 42 dias (6 semanas).

Os leitões devem ser manejados de forma calma e nas horas mais frescas do dia para diminuir o estresse. Eles podem ser separados por peso e/ou sexo (fêmea e macho).

Deve-se evitar a mistura de mais de três leitegadas diferentes na formação dos lotes, para evitar brigas. Com a mistura de lotes e a questão de hierarquia entre os leitões, pode resultar em comportamentos anormais:

  • Briga;
  • Morder a cauda dos outros leitões;
  • Morder a orelha do outro leitão;
  • Sucção de umbigo.

Também para evitar estes comportamentos deve-se manter a temperatura de acordo com a fase, ração e água à vontade e sempre manter a higiene das baias. Uma alternativa para diminuir esse comportamento é o enriquecimento ambiental, visando o Bem Estar Animal.

Na fase de creche o leitão passa a consumir apenas o alimento sólido, a ração. Nas primeiras semanas deve-se monitorar a ingestão de água, pois a ausência do consumo voluntário da ração pode estar associada a não ingestão de água.

Caso perceba-se que o consumo de ração abaixo do esperado, um manejo alternativa para induzir o consumo é molhar a ração, formar uma papinha, facilitando a ingestão da ração nos primeiros dias. Essa ração deve ser fornecida em cochos suplementares.

No início da fase de creche os leitões não estão com o sistema enzimático amadurecido, pois estavam aptos a digerir apenas a proteína do leite (caseína). Assim, deve-se fornecer uma ração pré-inicial, a mesma que ele estava consumindo antes do desmame:

  • Pré-inicial: Possui maior quantidade de lactose, uma ração de maior qualidade e mais digestível devido ao usa proteína de origem animal;
  • Pré-inicial I: Fornecer até 7 dias após o desmame, maior quantidade de lactose.
  • Pré-inicial II: Dos 8 aos 15 dias. Reduz a quantidade de lactose e inclui cereais. Os suínos já estão com o sistema enzimático maduro;
  • Ração Inicial: Dos 16 dias até o final da fase de creche, o fornecimento de ração é à vontade.

O monitoramento na creche deve ser diário e leitões identificados com problemas devem ser destinados para baia enfermaria, assim, proporcionando um melhor ambiente.                    

Cuidados com ambiência

Nos primeiros 14 dias de creche a temperatura deve ser acompanhada diariamente, o controle da ambiência é fundamental para manter os suínos em  conforto térmico, e garantir que todos os nutrientes absorvidas são destinados para seu crescimento e não para a manutenção da temperatura corporal que afeta diretamente o consumo de ração.

Se os leitões estão fora da sua zona de conforto é possível observar através do comportamento dos leitões. Leitões amontoados demonstram sensação de frio, já leitões espalhados e ofegante demonstram sensação de calor.

Um alternativa para controlar a temperatura em cada fase é através dos manejo de cortinas, piso aquecido e/ou campânulas elétricas.

Terminação

Os leitões são transferidos com aproximadamente 63 dias de vida (9 semanas), com peso entre 18 – 25 Kg para terminação.  A terminação é dívida na fase de crescimento entre 63 a 110 dias de idade, onde ocorre a deposição proteica (crescimento muscular) e a fase de terminação que compreende dos 110 dias até o abate, ocorre a deposição lipídica (deposição de gordura).

O número de suínos por baia varia conforme a quantidade de comedouros e bebedouros disponíveis, o espaço recomendado por animal é 1,00 m²/suíno. Baias maiores facilita  a observação e identificação dos animais doentes.

A limpeza das baias deve ser diária e a seco, com auxílio de pá e vassoura para realizar a raspagem dos excrementos, é fundamental para o desempenho dos leitões e a baixa ocorrência de doenças.  

A temperatura varia conforme o peso dos animais, no crescimento aproximadamente 18°C e na terminação 16°C, manejo de cortinas, forros e ventiladores auxilia no controle da ambiência.  

Para fazer o controle de acompanhamento do lote deve ser realizado preenchimento da Ficha de Acompanhamento do Lote (FAL), onde deve constar:

  • Vacinas aplicados naquele lote;
  • Tipo de ração e datas de consumo;
  • Se o lote recebeu medicação via água;
  • Mortalidades no lote;

Por que o Manejo adequado é importante?

O sucesso na produção de suínos está relacionado com o bom desempenho na maternidade e na creche.

O manejo em lotes dos suínos possibilita realizar o manejo “All in, All out” (todos dentro, todos fora) e realização do vazio sanitário das instalações ao fim de cada ciclo produtivo. Possibilitando melhores condições sanitárias para os lotes futuros, consequentemente, melhora no desempenho dos leitões. Esse manejo possibilita a homogeneização da leitegada e melhores ganhos zootécnicos.

Fonte: ABCS, MAPA. Manual brasileiro de boas práticas agropecuárias na produção de suínos. 2011.

Escrito por: Michele Fernandes

Data: 14/12/2018


Deixe um comentário